4 Passos para ter Sucesso em Audiências

Como ter sucesso em audiências
8 minutos para ler

Realizar audiências é um ato que costuma causar certo medo e insegurança nos advogados iniciantes. 

Aquele friozinho na barriga é normal, mas se esse ato o deixa tenso, seguir alguns passos pode ajudá-lo a ter mais segurança e tranquilidade para fazer suas audiências. 

Se identificou? Então, não deixe de ler nossa lista com os 4 passos básicos para você realizar sua audiência com sucesso e boa performance.

1º Passo: estude bem o processo antes da audiência

Antes de uma audiência, você precisa estudar o processo de forma detalhada. Conheça todos os fatos e documentos apresentados nos autos. 

Não esqueça de verificar se os documentos juntados são relevantes para o processo e se os instrumentos procuratórios estão em conformidade. Muitas vezes, uma procuração ou substabelecimento é crucial para uma ação. 

Tenha isso em mente, assim, você pode questionar na audiência sobre a irregularidade do documento ou sobre a ausência e carta de preposição, por exemplo. 

Além disso, você não pode esquecer o que a parte contrária tem a dizer. Analise bem e verifique se os documentos juntados por ela são relevantes para o processo também. 

Observe com cuidado as preliminares arguidas e esteja preparado para impugná-las em audiência. Leve suas impugnações anotadas para não esquecer na hora.

Não esqueça: estude o procedimento da audiência

Cada audiência tem um procedimento diferente. É esse procedimento que vai guiar todo o ato e fazer a diferença. Afinal, o procedimento que determina:

  • Quem deve comparecer no ato;
  • Se é obrigatório arrolar testemunhas previamente; 
  • O prazo para arrolar testemunhas;
  • Se é necessário que o advogado intime as testemunhas; 
  • O momento correto para apresentar a contestação e fazer suas impugnações.

Atenção: essa é para você não esquecer 

É comum que advogados iniciantes atuem em diversos ramos do Direito. Por isso, um erro que você precisa evitar é CONFUNDIR OS PROCEDIMENTOS DAS AUDIÊNCIAS. 

Cada tipo de ação pode demandar um procedimento diferente. O rito dos juizados especiais cíveis é diferente do rito comum ordinário, que é diferente do rito das ações de alimentos, na justiça do trabalho. 

Não deixe de estudar esses procedimentos. Muito cuidado, não confunda! 

É importante que você estude bem os procedimentos, porque, caso haja confusão, isso pode acarretar na preclusão de algum direito, prejudicar o cliente e, por consequência, afetar negativamente sua imagem profissional.

Um advogado que demonstra não conhecer o procedimento da audiência passa uma imagem de despreparo para seu cliente, e isso pode deixá-lo inseguro quanto ao seus serviços. Isso é péssimo para um profissional que está se estabelecendo no mercado no trabalho. Então, é bom ter cuidado quando for estudar seu procedimento. 

2º Passo: Analise o rol de testemunha

Não ignore o rol de testemunhas. Converse com elas, procure saber o que sabem a respeito dos fatos. Faça perguntas relevantes para identificar o que é importante para o processo ou não. Assim, você vai saber qual testemunha é mais importante para depor.

Cuidado ao instruir testemunhas! Apenas as oriente para que não mintam e nem inventem algo. Uma testemunha instruída a mentir pode agir com insegurança na sua oitiva e gerar uma má impressão no juiz, que pode pensar que ela está mentindo. Isso pode pegar mal para você também!

Preste atenção nas testemunhas da parte contrária. Uma dica legal é analisar o rol de testemunhas e identificar se alguma delas possui um vínculo de parentesco ou amizade íntima com a parte que a arrolou. Essa informação é muito importante para que você possa fazer a contradita

Como fazer a contradita? 

Momento ideal: após a qualificação da testemunha e antes que ela preste o compromisso de dizer a verdade. Esse é o momento chave para fazer a alegação. Você vai evitar os efeitos da preclusão

Não deixe de fazer uma busca nas redes sociais para fazer a prova da contradita. Evite deixar para conhecer as testemunhas apenas no momento da audiência, procure conversar com seu cliente para saber se ele conhece algumas delas. Busque o maior número de informações possíveis sobre a testemunha. 

Além disso, é interessante que você chegue mais cedo com o seu cliente e faça essas observações momentos antes do depoimento da testemunha. 

Caso não consiga fazer prova da contradita no ato da audiência, alegue a contradita e peça prazo para juntar provas, fundamente que só tomou conhecimento da testemunha naquele momento e não teve tempo hábil para constituir provas.

3º Passo: Esteja preparado para as alegações finais orais

No momento final da audiência, ressalte os pontos controvertidos da demanda. Explore a prova oral produzida na audiência. Busque não levantar teses jurídicas nas alegações finais, mostre que tem domínio do que fala e reforce os principais pontos explorados na produção de prova oral.

Para facilitar, você pode apontar uma possível contradição entre os depoimentos da parte e das testemunhas. Aponte que as testemunhas reafirmaram o que você pontuou na sua peça inicial ou contestatória. Use a produção de prova oral a seu favor. 

Uma dica prática é deixar para apontar uma contradição da parte contrária ou de sua testemunha nas alegações finais, assim, ela não vai poder voltar atrás no que disse, e isso pode plantar uma semente da dúvida na cabeça do magistrado.

Para realizar suas alegações finais com excelência, faça anotações durante a audiência. Anote pontos relevantes dos depoimentos das partes e testemunhas, pois, no calor do momento, você pode acabar esquecendo falas importantes.

Se possível, já leve de casa um esboço de suas alegações finais, assim fica mais fácil incluir o que foi produzido em audiência e você vai ficar mais confiante e focado nas suas alegações finais. 

Faça as alegações em forma de memoriais

Você pode convencionar com a outra parte para fazer as alegações finais em forma de memorial, sabia? Se você se sentir inseguro para fazer alegações na forma oral, procure o advogado da outra parte e convencione que as alegações finais orais serão apresentadas em forma de Memoriais, devendo o juiz homologar o negócio processual. 

Essa é uma inovação do Novo CPC. Segundo o art. 190, CPC, é ampla a possibilidade de alteração e inovação no rito processual, respaldada numa cláusula geral que permite que sejam firmados negócios processuais atípicos. 

Então, se você ainda tem alguma resistência, medo ou desconforto em fazer as suas alegações finais orais, essa pode ser uma ótima saída. Use-a seu favor quando sentir necessário! 

4º Passo: Aprenda tudo com o curso AUDIÊNCIA NA PRÁTICA.

O curso de Audiência na Prática foi idealizado pela Advogada e Conciliadora Rafaela Mello e o Juiz de Direito Rodrigo Britto para ajudar advogados iniciantes a terem mais técnica e segurança para realizar suas audiências.

Neste curso, você aprenderá todos os procedimentos das audiências cíveis e ainda o rito especial das ações de Alimentos. Através de aulas práticas e pontuais, os professores lecionam tudo que você precisa saber sobre os ritos processuais para que você possa ter um desempenho de Alta Performance e impressionar seus clientes.

Além da parte técnica, o curso conta ainda com um Módulo Plus sobre inteligência emocional nas audiências. Um módulo excepcional que o ajudará, através de algumas dinâmicas, a perder o medo e ter mais segurança para realizar suas audiências.

Adquirindo o curso, você ainda terá acesso a um Módulo Plus sobre Advocacia de Alta Performance, no qual irá aprender algumas estratégias para iniciar sua carreira de advogado.

Aprenderá os primeiros passos para começar como advogado correspondente e pautista, gestão de escritório com redução de custos, empreendedorismo e marketing jurídico, e mais: tutoriais para produção de logomarca e sites para seu escritório.

Afinal, quanto você pagaria para não passar por uma saia justa em uma audiência?

Atendendo aos pedidos, pela primeira e última vez, oferecemos o curso Audiência na Prática por um valor nunca visto antes! Por um valor SUPER ACESSÍVEL você terá mais segurança e se livrará de passar alguns perrengues em audiências e ainda dará um plus à sua carreira. 

Então, aproveite que essa não é uma oportunidade que se vê sempre. Adquira agora o curso Audiência na Prática

Você também pode gostar